Páginas

Seja um seguidor e receba nosso axé

Pesquisar assuntos deste blog

Leia também neste site

terça-feira, 6 de junho de 2017

Ogum Rompe Mato Ogum Yara Ogum Megê Ogum Naruê Ogum Malê Ogum Nagô Ogum Beira Mar



Falanges de Ogum

Ogum é o Orixá da Guerra, Demanda, Batalha, Metalurgia, Ferro, Metais, Bélico, da Tecnologia, das Ferramentas de Ferro, da Ordem e da Lei; é sincretizado com São Jorge, toma as cores vermelho e azul-escuro para velas e fitas. Recebe cerveja branca, conhecida como espuma de Ogum, trabalha com quebra de demandas, usa as Espadas de São Jorge, e é um dos mais populares Santos/Orixás. Abaixo uma compilação sobre a Segunda Linha da Umbanda Tradicional e seus falangeiros. Textos postados no extinto grupo Jaci-Jaterê e adaptados.
Na Umbanda tradicional a Segunda Linha engloba inúmeros espíritos guerreiros chefiados por Ogum. Todos se revestem de antigas indumentárias militares que se fundem num estilo único, que mistura o romano (centuriões, legionários) com o medieval (cavaleiros).

OGUM BEIRA MAR
Ogum Beira-Mar, chefe da Primeira Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele vibra entre as ondas que quebram na praia e o começo do mar alto. Seu falangeiro principal é Ogum Sete Ondas. As cores, velas e flores oferendadas a Ogum Beira Mar são as mesmas oferendadas a Ogum Sete Ondas.
Ogum Sete Ondas milita na Primeira Falange, que é liderada por Ogum Beira-Mar, Ogum do Mar ou Ogum Marinho.
Suas velas e flores (os cravos) são brancas e vermelhas. Ele vibra nas ondas que tocam as praias, fazendo uma ponte entre os Encantados marinhos e as almas de velhos guerreiros que viveram sob as bênçãos do mar.
No Vodu e em alguns ramos de Obia seu chefe se chama General Agwe e ele navega num misterioso barco encantado e vivo (um mistério) de nome Imamou. Agwe é o consorte mágico de Mamãe Lasiren, a Rainha do Mar (Iemanjá no Brasil).
OGUM ROMPE-MATO
Ogum Rompe-Mato ou Ogum Rompe-Mata é o chefe da Segunda Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele trabalha cruzado com Oxossi e aliado ao Povo das Matas. Sua imagem popular (acima) reflete esse cruzamento, por isso ele aparece como caboclo.
Suas cores são o verde e o vermelho (velas) e recebe oferendas na entrada das matas (rompe-mato).
Não devemos confundir esta entidade com o Caboclo Rompe-Mato, que é da Linha de Oxossi.

OGUM YARA
Ogum Yara é o chefe da Terceira Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele trabalha cruzado com Oxum e aliado ao Povo dos Rios, Cachoeiras e Lagos.
Suas cores são o verde, o branco, o vermelho (velas) e ele recebe oferendas na beira dos rios, cachoeiras e lagos.
É um Ogum com amplas virtudes purificadoras e curativas.
Ogum dos Rios é o principal falangeiro de Ogum Yara, possui as mesmas qualidades e recebe as mesmas oferendas que ele.
Este Ogum também trabalha intensamente com os Caboclos dos Rios e com os Caboclos das Matas, fazendo um poderoso link entre as forças vitais de Ogum, Oxossi e Oxum.


OGUM MEGÊ
Ogum Megê é o chefe da Quarta Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele trabalha bem próximo a Yansã e faz a ronda da parte externa da Calunga Pequena.
Diziam nossos avós na Umbanda tradicional, que a a falange de Ogum Megê está aliada ao Povo Megê, uma corrente espiritual composta por aguerridos combatentes negros africanos.
Com o tempo, como já mencionamos, a magia dos povos na Umbanda foi se perdendo. O Povo Megê é um dos menos conhecidos hoje em dia.
Este Ogum é o Guardião dos Cemitérios e o mais valente aliado nas lutas e demandas.
Suas cores são o branco e o vermelho (velas) e ele recebe oferendas na calçada ao redor da Calunga Pequena.

OGUM NARUÊ
Ogum Naruê é o chefe da Quinta Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele está aliado ao Povo Naruê, uma corrente espiritual composta por almas que quando encarnadas foram escravos africanos de etnias diversas.
Esta entidade combate os magos negros, os feiticeiros maléficos e seus simpatizantes com uma força extrema e uma severidade implacável. Ele também cruza com a Linha das Almas da Quimbanda (não confundir com a Linha das Almas da Umbanda: os Pretos Velhos).
Suas cores são o branco e o vermelho (velas) e recebe oferendas dentro da Calunga Pequena, na calçada ao redor dela (como Ogum Megê) e dentro da Macaya (mata), em lugares onde são realizados rituais especiais.
Podemos dizer sem, sombra de dúvida, que Ogum Naruê é o flagelo de todos os que usam a magia para fins maléficos.


OGUM MALÊ
Ogum Malê (alguns dizem Malei) é o chefe da Sexta Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele está aliado ao Povo de Exu, a Esquerda tradicional que atua na Umbanda e na Quimbanda (Exus e Pombas Giras típicos).
Este é o Ogum de Umbanda menos conhecido e possui até carência de imagem popular no mercado. Ele é descrito como um grande guerreiro negro, vestido de roupas mouriscas e fortemente armado.
Ogum Malê e sua Falange desmancham trabalhos de magia negra com facilidade e entregam o seu executor na porta do Tribunal da Lei Maior, para ser justiçado exemplarmente.
Ele e seus enviados raramente incorporam, pois o médium tem que ser dotado de virtudes difíceis de encontrar hoje em dia.
Suas cores são o branco e o vermelho (velas) e recebe oferendas nos mesmos lugares de Ogum Megê. Ogum Naruê e nos cantos das encruzas também.


OGUM NAGÔ
Ogum Nagô, chefe da Sétima Falange da Sexta Linha (Ogum) dentro da Umbanda tradicional. Ele trabalha com o misterioso Povo de Ganga, bastante conhecido e utilizado pelos verdadeiros kimbandeiros para desmanchar trabalhos maléficos de qualquer espécie.
Este Povo atua na Calunga Pequena, nas matas e encruzas. Seus integrantes tomam a roupagem fluídica de antigos totens (meio animais e meio humanos), preferencialmente de búfalos, touros e outros animais de grande porte. Na Kimbanda o chefe do Povo de Ganga é o Exu Gererê, que atua em parceria com Ogum Nagô.
Ogum Nagô é um grande aliado dos curandeiros e recebe oferendas (velas e flores) nas cores branca e vermelha.
Na Obia e no Vodu o Povo de Ganga é bastante presente e possui membros poderosos como: Papa Bossou, Bossou Três-Grãos (Três Testículos), Bossou Três-Chifres e Mama Bossine. São espíritos que exigem maestria na lida e possuem os segredos da vitalidade selvagem da terra.

Sacerdote Umbandista
Pai Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

terça-feira, 30 de maio de 2017

São Jorge Guerreiro





ORAÇÃO DE SÃO JORGE


oração de São Jorge ajuda a alcançar uma graça e serve para todas as pessoas, para saúde, proteção e luz.
Quando você for rezar a poderosa oração de São Jorge seja sincero, faça de coração, sinta a oração, não tenha distrações por perto. Faça a oração com fé e confiança, de qualquer outra forma não adianta.
Lembre-se que fazer uma oração não é como ler qualquer coisa e não precisa rezar mil vezes, você só precisa rezar com fé. Tenha o seu momento para rezar, se concentre nisso e sinta a diferença no seu dia quando você fizer a oração de São Jorge.

ORAÇÃO DE SÃO JORGE PARA PROTEÇÃO, GRAÇA E SONHOS

Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar.
Jesus Cristo, me proteja e me defenda com o poder de sua santa e divina graça, Virgem de Nazaré, me cubra com o seu manto sagrado e divino, protegendo-me em todas as minhas dores e aflições, e Deus, com sua divina misericórdia e grande poder, seja meu defensor contra as maldades e perseguições dos meu inimigos.
Glorioso São Jorge, em nome de Deus, estenda-me o seu escudo e as suas poderosas armas, defendendo-me com a sua força e com a sua grandeza, e que debaixo das patas de seu fiel ginete meus inimigos fiquem humildes e submissos a vós. Assim seja com o poder de Deus, de Jesus e da falange do Divino Espírito Santo. São Jorge Rogai por Nós. Assim seja.

Sacerdote Umbandista
Pai Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Dia de São Jorge 23 de Abril



O céu de repente anuviou
E o vento agitou as ondas do mar
E o que o temporal levou
Foi tudo que deu pra guardar
Só Deus sabe o quanto se labutou
Custou mas depois veio a bonança
E agora é hora de agradecer
Pois quando tudo se perdeu
E a sorte desapareceu
Abaixo de Deus só ficou você

Quando a gira girou, ninguém suportou
Só você ficou, não me abandonou
Quando o vento parou e a água baixou
Eu tive a certeza do seu amor

Quando tudo parece que estar perdido
É nessa hora que você vê
Quem é parceiro, quem é bom amigo
Quem tá contigo quem é de correr
A sua mão me tirou do abismo
O seu axé evitou o meu fim
Me ensinou o que é companheirismo
E também a gostar de quem gosta de mim

Quando a gira girou, ninguém suportou...

Na hora que a gente menos espera
No fim do túnel aparece uma luz
A luz de uma amizade sincera
Para ajudar carregar nossa cruz
Foi Deus quem pôs você no meu caminho
Na hora certa pra me socorrer
Eu não teria chegado sozinho
A lugar nenhum se não fosse você

Quando a gira girou, ninguém suportou...


Sacerdote Umbandista
Pai Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

terça-feira, 28 de março de 2017

Quaresma na Umbanda



A Quaresma é um período em que se relembra o período entra o Desencarne a Ressurreição de Jesus Cristo no sincretismo 
( Pai Oxalá).
Durante este período é Apropriado para penitência e meditação, através da prática do jejum, da esmola e da oração.


Lembramos a todos ou alertamos a quem não sabe que a pascoa e também o cruzamento de cinzas não são rituais católicos, simplesmente coloca-se juntamente com o desencarne e ressuscitação de Cristo pois tudo aconteceu na mesma data, e contudo parece ao olhar de quem não conhece perfeitamente que tudo pertence a mesma celebração, no entanto são distintas, e a celebração Umbandista esta no cruzamento e também no período da quaresma, dentro disso também celebra-se Jesus  ressuscitado em  sincretismo com Oxalá somente.

A Quaresma começa na Quarta-feira de Cinzas e termina na tarde da Quinta-feira Santa, antes da Celebração da Santa Ceia,quando foi instituida a Eucaristia e o Sacerdócio.
A quaresma é o tempo litúrgico de conversão.
É tempo para nos arrepender de nossos pecados e de mudar algo de nós para sermos melhores e poder viver mais próximos de Cristo.
A Quaresma dura 40 dias; começa na Quarta-feira de Cinzas e termina no Domingo de Ramos. Ao longo deste tempo, sobretudo na liturgia do domingo, fazemos um esforço para recuperar o ritmo e estilo de verdadeiros fiéis que devemos viver como filhos de Deus.
40 dias A duração da Quaresma está baseada no símbolo do número quarenta na Bíblia. Nesta, é falada dos quarenta dias do dilúvio, dos quarenta anos de peregrinação do povo judeu pelo deserto, dos quarenta dias de Moisés e de Elias na montanha, dos quarenta dias que Jesus passou no deserto antes de começar sua vida pública.
Na Bíblia, o número quatro simboliza o universo material, seguido de zeros significa o tempo de nossa vida na terra, seguido de provações e dificuldades.

Vivendo a Quaresma

Durante este tempo especial de purificação, antes de tudo, a vida de oração, condição indispensável para o encontro com Deus.
Na oração, inicia um diálogo íntimo com o Senhor, deixa que a graça divina penetre em seu coração.
Arrependendo-se de seus pecados
Lutar para se mudar intimamente.
Jejuar.
-Os Jejuns de quaresma entram a Abdicação da Carne na quarta Feira de Cinzas e Todas as Sexta Feiras de sua Duração.

Umbanda e a Quaresma

A Quaresma é Onde Nossos Orixás e Guias de primeira Linha ou
Primeiro Escalão Param Para Avaliação do Ano Espiritual em Termino, è Também onde Traçam o Plano Espiritual para o Ano a Começar.


Na Quaresma os antigos terreiros de Umbanda e isto acontece até hoje é tempo de penitencia para o amanci (consagração do médium), ao qual termina em cerimonia no sábado de aleluia.


Antigamente os Terreiros Fechavam no Período de Quaresma,
Fechavam na Gira de Cinzas onde Os Filhos eram Cruzados Pelos Pretos Velhos Com Cinzas Afim de proteção Conta Fluidos Negativos e Maus Espíritos Neste Período.


E Só Reabriria na Sexta Feira Santa , Onde se iniciava a Vigília ,
Traçava-se um Cruzeiro no Chão com Pemba e o Contornava com Velas Brancas , Assim Velando o Cruzeiro e Rezando diversos Terços Até O Estouro de Aleluia.


O Conga era Fechado Com Cortinas Roxas ou Brancas os Santos Cobertos e Tudo Só Era Retirado após o Estouro de Aleluia.
No sábado de Aleluia ao Meio dia Os Pretos Velhos Faziam a Incorporação em seus Médiuns , Estouravam a Aleluia , e Faziam o Levantamento do Cruzeiro Velado


Estava Cumprida a Penitencia de Quaresma e os médiuns já preparados para assumirem suas posições.


Hoje Dentro da Quaresma os Terreiros dão Continuidade a formação dos novos médiuns


À Caridade, ato Que Particularmente acho muito Bom,


Sacerdote Umbandista
Pai Emidio de Ogum
http://espadadeogum.blogspot.com

Leia o Blog e Ouça este lindo Hino dos Orixás

Histórias dos Mestres

Aqui nosso E Mail mande sugestôes - espadadeogum@gmail.com

Pai Oxalá

Jesus

Conselheiros dos Guerreiros do Axé

Conselheiros dos Guerreiros do Axé
Pai Leonardo e Pai Emidio de Ogum

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras

Rubens Saraceni e Leo das Pedreiras
Pai Leo das Pedreiras

Eterno Mestre

Eterno Mestre
Este senhor ensinou a humildade e nunca usar um dom para ganhar algo em troca.

Mais de 10 milhões de Visitantes - Que nosso Pai Ogum ilumine seus caminhos

Pomba Gira

Oração de São Francisco por Maria Bethania

São Francisco

Oração a São Francisco